PS em Gaia quer residência estudantil no Mercado da Beira Rio

Foto: Arq/Ana Isabel Pereira

Foto: Arq/Ana Isabel Pereira

O candidato do PS à Câmara de Vila Nova de Gaia apresentou esta sexta-feira o seu projecto de reabilitação do Mercado Municipal da Beira Rio, que prevê a construção de um piso superior destinado a uma residência estudantil.

Eduardo Vítor Rodrigues explicou que, com este projecto, consegue “responder a várias coisas ao mesmo tempo”, tais como “reabilitar” o edificado municipal, “impedir” que a lógica do sector imobiliário prevaleça sobre o património histórico e fazer daquele mercado “um espaço de criação de emprego”.

“Aquilo está numa situação de degradação brutal” e o edifício esteve mesmo para ser demolido, afirmou

A obra está orçada em 1,25 milhões de euros, tem um prazo de execução previsto de 18 meses e poderá começar “no prazo máximo de um ano” após a tomada de posse do novo presidente da autarquia, de acordo com o autor do projecto, o arquitecto Norberto Silva.

O projecto prevê o “acréscimo de um piso” sobre o actual, para “residência para 50 alunos”, equipada com uma “zona de serviços” dotada, por exemplo, de ”lavandaria e cozinha”.

O novo andar será todo ele em vidro, um material que foi escolhido por “não chocar com a envolvência” urbana local e que por isso “não vai criar um impacto forte”, justificou Norberto Silva.

O candidato disse que pode fazer a obra “aproveitando os recursos disponíveis” para o próximo Quadro de Referência Estratégica Nacional (QREN) 2014-2020.

Eduardo Vítor Rodrigues quer “potenciar a experiência turística e, ao mesmo tempo, dinamizar a economia da região e os serviços de proximidade”, através de “uma reabilitação do Centro Histórico de Gaia com as pessoas que lá estão”, mas “também” com as que poderão ser atraídas para ali.

Se for eleito presidente da Câmara local, um dos seus alvos serão os estudantes de outros países que frequentam a Universidade do Porto ao abrigo do programa Erasmus, que muitas vezes residem em zonas periféricas.

“Este é um público tem potencial económico presente, mas também futuro, porque assistimos cada vez mais a casos de ex-estudantes a revisitar o seu local de formação”, exemplificou.

O socialista realçou, por outro lado, que “grande parte da reabilitação do centro Histórico de Gaia deu-se olhando para a marginal do rio”.

Valorizar “o casco histórico”

“O que pretendemos com este projecto é iniciar um processo em que todo o casco histórico se valorize, independentemente de ter ou não ter visibilidade para o outro lado do rio”, promovendo actividades económicas e deste modo, criando emprego.

O PS pretende, assim, que o Centro Histórico de Gaia seja “muito mais do que uma zona museológica, que seja uma zona viva a partir daquilo que é o seu foco fundamental, que é o vinho do Porto”.

Questionado pela agência Lusa, Eduardo Vítor Rodrigues disse que as “cinco pessoas com banca aberta no mercado têm o seu lugar garantido”, tendo realçado que “o valor das rendas será igual no primeiro ano” após a reabilitação.

Tais valores poderão ser “ajustados com a evolução dos novos consumos”, explicou.

“O objectivo ali não é ganhar dinheiro comas rendas, mas sim com o aluguer das residências”, acrescentou.

Além de Eduardo Vítor Rodrigues, também estão na corrida eleitoral para a Câmara de Gaia o social-democrata Carlos Abreu Amorim o independente José Guilherme Aguiar, Jorge Sarabando, pela CDU, e Eduardo Pereira, pelo Bloco de Esquerda.

0